"PALESTINA: A traxedia permanente (1947-2024). Unha chamada para espertar a Europa" (Prof. Bichara Khader)

Um Dia das Letras cheio de solidariedade internacional: O IGADI publica em galego o último ensaio do professor Bichara Khader, “Palestina, a Tragédia Permanente (1946-2024): Um Chamado para Despertar a Europa”

No Dia das Letras Galegas 2024, dedicado à escritora Luisa Villalta, desde o IGADI reivindicamos o valor de sua obra e compromisso com a humanidade e nos juntamos à celebração publicando em galego o novo ensaio do professor da Universidade Católica de Lovaina, Bichara Khader. O professor Khader é um dos grandes especialistas do mundo árabe contemporâneo e das questões euro-árabes e euro-mediterrâneas; pois as Letras galegas, também, estão no mundo e veem o mundo a partir daqui.
Palabras chave Palestina

A história das relações entre a Galícia e a Palestina é uma história de solidariedade constante que alcançou um de seus marcos quando em novembro de 2014, todo o Parlamento Galego apoiou a Declaração institucional sobre o reconhecimento do Estado da Palestina.

O ensaio de Bichara Khader, sobre as relações entre Europa e Palestina desde 1948, é mais uma contribuição para essa corrente de fraternidade entre a Galícia e a Palestina.

A partir deste canto europeu do Atlântico, defendemos uma sociedade internacional que enterre definitivamente o racismo e as inércias coloniais com soluções originais.

Você pode baixar gratuitamente o último ensaio de Bichara Khader aqui.

Um breve perfil sobre o autor. Wikipedia

Bichara Khader, (Zababdeh, Palestina, 13 de fevereiro de 1944) é um especialista no mundo árabe contemporâneo e nas questões euro-árabes e euro-mediterrâneas. De origem palestina, tem nacionalidade belga. É professor emérito da Universidade Católica de Lovaina e fundador do Centro de Estudos e Pesquisas sobre o Mundo Árabe dessa universidade. Foi membro do Grupo de Altos Especialistas em Política Externa e Segurança Comum da Comissão Europeia e do Grupo de Sábios para o Diálogo das Culturas no Mediterrâneo da Presidência Europeia.

Khader insiste na urgência de entender o mundo árabe e muçulmano de outra forma que não seja em termos de ameaça ou invasão e expressa preocupação com a islamofobia, que está cada vez mais visível. Ele também é crítico com os países árabes, a quem considera “Não podem limitar-se a evitar suas responsabilidades sugerindo que a islamofobia é uma espécie de doença incurável do Ocidente. Os terroristas e jihadistas do Estado Islâmico ou Al Qaeda, por exemplo, não representam o verdadeiro islã, inclusive mancham sua imagem porque é uma religião de paz.”